Arquivo da categoria: Windows

Soma condicional no Excel?

A dúvida abaixo veio do Artur:

“Karlão preciso somar várias células com números, só que células do lado desta contém expressões tipo ‘PAGO’ ou ‘EM ABERTO’, quero que a fórmula só some valores aonde a condição seja ‘PAGO’, como faço?”

Artur, sua dúvida é bem interessante. Vou explicar duas formas de fazer isto no Excel (qualquer versão). O que você deseja fazer chama-se Soma Condicional, o próprio nome já explica, você quer somar determinados valores, desde que uma determinada condição seja confirmada, neste caso PAGO ou EM ABERTO. Vou usar uma tabela semelhante a sua como exemplo, segue abaixo:

Neste exemplo, queremos somar os valores da coluna B, desde que estes estejam pagos (condição da coluna C). Vamos ao que interessa. A fómula a ser usada chama-se SOMASE. Esta fórmula pede 3 informações: Intervalo, Condição e Intervalo da Soma. O intervalo é a coluna (ou linha) aonde a fórmula irá procurar pela condição, a Condição é justamente o que a fórmula vai procurar (e caso encontrar) irá executar a soma. Por último, o Intervalo da Soma é justamente a coluna com os valores que queremos somar.

No nosso exemplo temos: Intervalo (coluna C), Condição (“PAGO”) e Intervalo da Soma (Coluna B). A fórmula fica então assim: =SOMASE(C2:C7;”PAGO”;B2:B7). Importante notar que como o conteúdo da coluna C é texto, a palavra PAGO tem que ser colocada entre aspas na fórmula.

A outra forma de realizar a soma condicional é através de um suplemento (plugin) do Excel. Este plugin está incluso em todas as versões do Excel. Nos casos das versões mais antigas, o mesmo já vem ativado, basta ir no menu “Ferramentas” e em seguida na opção “Soma Condicional”. Já no Excel 2007, você precisa acessar o botão do Office no lado esquerdo superior da tela, clicar em “Opções do Excel”, ir até a seção de “Suplementos” e ativar o “Assistente de Soma Condicional”. Feito a ativação, a opção de soma condicional estará dentro da aba “Fórmulas”.

O assistente nada mais é do que uma interface gráfica para que você possa criar somas condicionais simples ou até mesmo complexas. Basta seguir o passo a passo e ler cuidadosamente as explicações na tela. Não tem segredo!

Congelar colunas e linhas no Excel?

A dúvida abaixo veio do Elvyo:

“Karlão, preciso congelar a primeira coluna de uma tabela no Excel, para que quando eu arrastar para o lado, a mesma permanecer estática, o que faço?”

Elvyo, o procedimento é muito simples e bastante útil para quando estamos trabalhando com tabelas grandes. Vou explicar como é feito tanto no Office 2003 quanto no 2007.

Office 2003
Selecione a linha inteira ou coluna inteira que deseja congelar, clique no menu Janela e em seguida “Congelar Painel”. Caso você não selecione nenhuma linha ou nenhuma coluna, a opção de congelar painel será feita automaticamente para a primeira linha e para a primeira coluna.

Office 2007
O procedimento é o mesmo, porém a versão mais atual do Office explica (e mostra) melhor o que está sendo feito. Acesse o menu “Exibição” e em seguida vá até a opção “Congelar Painéis”. Aqui você terá 3 novas opções: A primeira você congela as linhas/colunas/células que estão atualmente selecionadas na sua tabela. A segunda você congela somente a linha superior e a última opção você congela a primeira coluna. Simples e prático né?

Pen-drive bootável com Windows 7 ou Vista?

A dúvida abaixo veio do meu amigo César:

“Karlão, meu computador está com problemas no drive de CD/DVD e preciso instalar o Windows, como faço?”

Caro César, existem diversas soluções para este problema, a mais comum e mais prática seria a instalação do Windows através de um dispositivo USB de armazenamento (como um pen drive ou HD externo). O procedimento é bastante simples, porém existem dois detalhes. O primeiro é que o passo a passo que estarei listando abaixo só funciona em (e para) sistemas Windows Vista e Windows 7, justamente por isto o pen drive que iremos criar terá o Windows 7 bootável (para o Vista é o mesmo procedimento).

O segundo detalhe é que de qualquer forma você irá precisar dos arquivos de instalação do Windows (7 ou Vista) que estão no DVD do produto, por isso será necessário fazer o procedimento em um computador que esteja com o drive de CD/DVD funcionando! Vamos lá:

1) Conecte o pen-drive ou hd externo na porta USB (todos os dados serão apagados e será necessário um dispositivo com pelo menos 3 GB’s).

2) No Windows 7 (ou Vista) abra o Prompt de Comando como Administrador (botão direito no ícone e em seguida “Executar como Administrador”).

3) No prompt, execute o comando diskpart. Aguarde o carregamento e em seguida irá aparecer DISKPART>

4) Em seguida digite: list disk. O diskpart irá mostrar uma tabela com os discos atualmente conectados ao seu computador.

5) Identifique o pen-drive ou hd externo pelo número (Disco 0, Disco 1, Disco 2, etc) e pelo tamanho. Caso tenha alguma dúvida você pode rodar o comando novamente sem o pen-drive estar conectado.

6) Em seguida digite: select disk 1. Neste nosso exemplo, o pen-drive (ou hd externo) é o Disco 1. Tenha certeza de estar escolhendo o disco corretamente, ou você corre o risco de apagar todos os dados em uma outra unidade ou partição.

7) Rode os seguintes comandos, pressionando ENTER após cada linha:
clean
create partition primary
select partition 1
active
format fs=NTFS quick
assign
exit

8) Seu dispositivo externo está quase pronto para receber os arquivos de instalação do Windows 7 ou Vista.

9) Verifique no Windows Explorer, qual a letra da unidade de CD/DVD aonde está o disco de instalação do Windows e também confirme a letra que foi definida para seu pen-drive ou hd externo. Neste nosso exemplo, usaremos D:\ e F:\ respectivamente.

10) Na mesma tela do Prompt de Comando, acesse a pasta boot dentro do cd de instalação do Windows digitando: cd d:\boot

11) Para finalizar, iremos criar o setor de boot no pen-drive ou hd externo através do comando: bootsect /nt60 f:\

12) Pronto! Agora basta copiar, todo o conteúdo do DVD de instalação do Windows para o seu pen drive ou hd externo e iniciar seu computador com o dispositivo conectado a porta USB.

Um último detalhe: tenha certeza que a BIOS do seu computador tenha suporte para realizar boot por dispositivos USB (a maioria possui) e confirme que na sequência de boot, a “Unidade de armazenamento USB” esteja acima (prioritária) do disco rígido do seu computador.

Opção de eixo secundário?

A dúvida abaixo veio do Ítalo:“Karlão, segui os passos que você explicou neste post sobre o assunto de eixo secundário no Excel 2007, mas não consegui resolver meu problema, não vejo a opção para marcar, preciso de algum plugin?”

Ítalo, não é necessário nenhum plugin, esta é uma opção padrão do Excel 2007. Vamos deixar claro dois pontos: primeiramente para se trabalhar com eixo secundário é preciso que você tenha duas variáveis em função de outra, por exemplo a quantidade vendida ao longo dos meses e a meta de venda ao longo dos meses. Com isto temos X = quantidade, Y = meta e Z = tempo, ou seja, a variável X estará no eixo da esquerda, a variável Y no eixo da direita e a variável Z no eixo de baixo do gráfico.

O segundo ponto importante para destacarmos é que dependendo da diferença de proporções entre as variáveis da sua tabela, o gráfico inicial (antes de marcarmos o eixo secundário) pode ficar parecendo que possui somente 2 variáveis ao invés de 3, pois a terceira variável pode ficar “escondida”.

Mesmo assim, aumentando um pouco o tamanho do gráfico e alterando o zoom do Excel, é possível clicar com o botão direito no pequeno pedaço vermelho (relativo a terceira variável) e selecionar “Formatar Série de Dados”. Com isto você terá na tela esta janela abaixo, aonde deve ser marcado o item “Eixo Secundário”.

Para facilitar também é possível chegar nesta mesma tela, clicando com o botão direito no item da legenda relativo a essa variável e selecionando a mesma opção “Formatar Série de Dados”.

Lixeira deletada no Vista?

A dúvida abaixo veio do grande amigo Claytin:“Karlão, apaguei o ícone da lixeira do meu desktop no Windows Vista, como faço para recuperá-lo?”

Claytin, o procedimento é muito simples. Clique com o botão direito na sua área de trabalho e acesse a opção “Personalizar”. Na nova janela, do lado esquerdo abaixo do menu “Tarefas” clique na opção “Alterar ícones da Área de Trabalho”. Pronto, na nova janela basta marcar o ícone da Lixeira que o mesmo irá aparecer novamente no Desktop.

É interessante mencionarmos que o Vista permite apagar o ícone da lixeira facilmente, já no Windows XP, o ícone da Lixeira não podia ser removido, somente através da edição do Registro ou em Políticas de Grupo avançadas.

Office 2007 no Office 2003?

A dúvida abaixou veio do Flávio:

“Karlão, existe alguma forma de abrir arquivos do Office 2007 em versões anteriores do Office, como a 2003 e XP?”

A resposta é sim, de uma forma simples e fácil. É bom deixarmos claro que somente os arquivos salvos no formato padrão do Microsoft Office 2007 (.docx, .xlsx, pptx, etc) não conseguem ser abertos em versões anteriores do Office. Porém o Office 2007 permite que os arquivos sejam salvos no formato antigo (.doc, .xls, .ppt, etc) e isto faz com que os arquivos sejam abertos em qualquer outra versão do Office.

Porém, como sempre acontece, muitas vezes recebemos um arquivo no formato Office 2007 e não temos o software para poder salvá-lo em outro formato. Para isto a Microsoft lançou algum tempo atrás um “Pacote de Compatibilidade para arquivos do Office 2007“. Este pacote é grátis e permite que a versão 2003 e XP do Office possam ler arquivos do Office 2007. Lembrando que este programa é feito somente para leitura, não permitindo salvar arquivos no formato novo, mas já ajuda em situações típicas do dia a dia. Basta baixar no link acima e instalá-lo normalmente no seu Windows.

Sem som na caixa?

Pessoal, tenho recebido muitas dúvidas com relação a problemas de som no computador, uma delas veio da Cássia:

“Minhas caixas de som não estão funcionando e no ícone do som ao lado do relógio do Windows está escrito ‘sem som’, o que devo fazer?”

Cássia, este é um problema muito simples de se resolver. Todas as versões do Windows permitem desabilitar o som temporariamente, ao invés de você ter o trabalho de desligar as caixinhas, ou algo assim. Para que você habilite e desabilite o som, basta clicar duas vezes sobre o ícone da caixinha de som ao lado do relógio, que uma nova tela se abrirá.

Nesta tela, do lado esquerdo, você tem o controle de volume e em baixo uma caixinha para marcar “Sem Áudio”. Se você marcar esta opção, o Windows ficará totalmente sem som, caso ela estiver desmarcada, o som funcionará normalmente. Porém, nem sempre o problema de som é somente isto. Sugiro a todos a leitura do meu post anterior sobre o assunto para identificar outros possíveis problemas de som no Windows.

Copiar e colar eterno?

A dúvida/curiosidade abaixo veio do Sérgio:

“Karlão, se eu copiar um pedaço de texto no Windows, por quanto tempo ele fica armazenado? Posso colar ele daqui uns três dias por exemplo?”

Sérgio a resposta é: depende! Vamos entender o processo de copiar e colar no Windows. Quando você faz uma cópia (crtl+c) de algum texto, imagem, arquivo ou qualquer outro elemento no computador, o Windows armazena esse item em uma zona temporária da memória, chamada Área de Transferência (Clipboard).

Por padrão do Windows, a área de transferência tem capacidade para somente uma única cópia, ou seja, se você copiar um item e em seguida copiar outro (sem colar o anterior), o item inicial será substituido pelo novo item. Porém, se você copiar uma parte de texto do Word (por exemplo) e não copiar nada novamente em seguida, você pode colar (crtl+v) este texto quantas vezes quiser, ou quando quiser, até a área de transferência ser limpa, ou o item substituido por outro.

A área de transferência é limpa somente quando o computador é re-iniciado. Mas você pode fazer esta limpeza manualmente a qualquer momento. No Windows XP, basta executar o aplicativo C:\WINDOWS\system32\clipbrd.exe e limpar o item que está armazenado. Portanto, se você executar crtl+c em um texto, não copiar mais nada em seguida e nem desligar o computador, você pode colar até vários anos depois!

Lembro também, que nem todos os aplicativos utilizam a área de transferência do Windows, alguns tem áreas de transferências próprias, que podem permitir vários itens, tempos diferenciados, etc. O Microsoft Office, por exemplo, é uma aplicação que tem opção de se utilizar uma área de transferência própria, mais avançada que a do Windows.

PDF no Word?

A dúvida abaixo veio da Michelle:

“Karlão, como faço para transformar um arquivo Word em PDF?”

Michelle, sua dúvida é muito boa, fiquei surpreso de ninguém ter me perguntado ainda. O PDF (Portable Document Format) é um formato de arquivos criado pela Adobe com foco principal em segurança (evitar cópias ou modificações), devido a isto, com o passar do tempo, ele passou a ser um dos principais formatos para distribuição de documentos na internet.

Nenhuma versão do Microsoft Word por si só tem opção para salvar o documento em PDF, o novo Office 2007 possui uma opção para salvar em XPS (formato concorrente do PDF, desenvolvido pela Microsoft, mas não muito difundido). Porém, existem algumas formas que você pode usar para gerar arquivos PDF a partir de documentos Word.

Um primeiro método é utilizar programas de conversão, que pegam documentos em diversos formatos (não só .doc) e transformam em PDF. Eu particularmente nunca vi um programa deste funcionar corretamente, a conversão sempre gera problemas com imagens, tabelas, etc. Outro método é utilizar o Adobe Acrobat Professional. Este software possui aplicativos que interagem com o Word, Powerpoint e Excel para permitir que sejam salvos documentos abertos, diretamente em formato PDF. O Acobat Professional, também permite criar PDF’s do zero, utilizando a própria interface do programa. A dificuldade deste software está no alto preço, por isto ainda não é a melhor solução.

Então é impossível? Não, de forma alguma. Existem softwares no mercado, muito simples, mas que funcionam de uma maneira muito inteligente para transformar seus arquivos de Word (e vários outros tipos de arquivos) em PDF. Estes softwares criam uma impressora PDF no seu computador, então basta você mandar imprimir o documento nesta impressora virtual e ele gera o PDF automaticamente para você. Como o formato de impressão é bem mais simplificado e prático, o PDF raramente apresenta erros em imagens e tabelas, pois na realidade não é feito nenhuma conversão e sim uma impressão do documento em um arquivo PDF. Genial né?

O melhor software de impressora PDF é o PDF Creator, desenvolvido por uma comunidade virtual de programadores e o melhor, totalmente gratuito. A instalação é muito simples e a utilização mais fácil ainda. Durante a impressão, o PDF Creator te dá inclusive opções mais avançadas para configurar o PDF a ser criado, como proteger com senha e evitar cópias de texto.

E o inverso é possível? Transformar PDF em DOC é possível sim, com softwares de conversão, mas já vou adiantando que o resultado não é muito satisfatório (assim como DOC em PDF), justamente porque o PDF foi feito para ser um formato seguro e não ser copiado.

Dois monitores?

A dúvida abaixo veio do Pedro Paulo:

“Karlão, tenho duas placas de vídeo no meu computador, como faço para configurar elas para trabalharem com 2 monitores? É possível?”

Pedro, sua dúvida é interessante, raramente vemos este tipo de funcionamento, a não ser em sistemas de CFTV. Porém, é possível sim fazer este tipo de configuração, observando os seguintes pontos:

1) Ambas as placas não podem ser modelos muito antigos, pois algumas placas de vídeo PCI antigas não possuem suporte para trabalhar com outra ao mesmo tempo (algumas onboard também não possuem o recurso).

2) Neste caso não estamos falando de configuração SLI ou Crossfire, aonde as placas são ligadas entre si e conectadas ao computador, e passam a funcionar como uma única placa, porém com a performance duplicada. Para este tipo de configuração, você precisa de placas de vídeo mais modernas, que tenham este suporte e placas-mãe que permitam esta configuração.

3) O ideal neste caso é configurar todo o computador, utilizando somente uma placa de vídeo, e depois colocar a segunda placa e ainda utilizando a saída de vídeo da primeira, instalar os drivers corretos e mais atuais da segunda placa.

4) Também é possível utilizar dois monitores em uma única placa de vídeo (modo mais comum), desde que a mesma possua duas saídas. A maioria dos modelos mais modernos possuem tanto saída RGB quanto saída DVI, neste caso você pode ligar dois monitores normalmente.

Com isto entendido, e com os dois monitores ligados, basta ir nas propriedades de vídeo (Painel de controle – Vídeo) e na aba de Área de trabalho você já verá o desenho dos dois monitores. O Windows permite que você alterne a imagem entre os monitores, mas grande parte dos softwares que acompanham os drivers das placas de vídeo, permitem que você divida a tela, duplique a tela ou alterne a tela.

Mais de 4GB de Swap?

A dúvida abaixo veio do meu amigo Garcez:

“Karlão, como faço para utilizar mais de 4GB’s de swap (memória virtual) no Windows?”

Garcez, você pode fazer isto de duas formas. A primeira é criando um arquivo de swap com 4 GBytes em cada partição do disco. Com isso você terá um arquivo de swap por partição sem a necessidade de alterar registro do Windows ou fazer qualquer alteração mais complexa. Porém, a utilização do arquivo de swap separados em partições, gera bastante utilização de disco (I/O) e isso pode prejudicar a performance em ambientes mais críticos.

O outro método é realizar algumas modificações no registro do Windows para que o mesmo permita criar vários arquivos de swap em uma única partição. Neste caso você pode centralizar os arquivos e ganhar em performance. Para fazer isto, siga o passo a passo da própria Microsoft.

Limite de linhas no Excel?

A dúvida abaixo veio do Waldemir:

“Karlão, como aumentar o limite de 65536 linhas no Excel? Trabalho com arquivos muito grandes e este valor não me atende.”

Waldemir, a resposta é simples: é impossível passar de 65536 linhas em uma única planilha no Excel 2003 ou inferior. Porém, você pode contornar este problema de 3 formas diferentes:

1) Separar os dados entre várias planilhas (várias abas em um mesmo arquivo do Excel).

2) Passar a trabalhar com estes dados em um banco de dados (Access, Oracle, SQL Server, MySQL, etc) o que resolveria o problema não só de quantidade de linhas mas também de desempenho.

3) Passar a utilizar o Excel 2007 que suporta até 1048576 linhas (16 vezes mais). Acredito que esta seria a solução mais prática para você.

1º página sem numeração?

A dúvida abaixo veio da Suellen:

“Como fazer para que o Word não numere a primeira página (conforme a norma da ABNT)?”

Suellen a resposta é bem simples. Ao inserir uma numeração de página (Inserir – Número de página), desmarque a opção “Mostrar número na 1º página” no Word 2003 ou marque “Primeira página diferente” no Word 2007. Com isto a primeira página da seção não será numerada conforme a chatíssima regra da ABNT.

Eixo secundário Excel 2007?

A dúvida abaixo veio da Gisele:“Karlão eu vi seu post sobre gráfico de Pareto no Excel, mas uma dúvida ainda persiste, como crio um eixo Y secundário com a porcentagem?”Gisele, sua dúvida é bem interessante e um ótimo complemento ao meu post anterior sobre os gráficos personalizados. O Excel 2007 não faz o eixo de porcentagem automaticamente, primeiramente você deve criá-lo como uma coluna de dados na sua tabela. Vamos usar como exemplo a figura abaixo:

Untitled-1

Neste exemplo, criamos uma tabela com as colunas de Valor, Meta e Diferença da Meta (em porcentagem). Selecione toda a tabela, vá até a aba Inserir e insira um gráfico de Colunas Agrupadas. Feito isto, clique bom o botão direito do mouse no terceiro eixo (Diferença da Meta) e em seguida “Formatar série de dados”.

Marque a opção “Eixo Secundário” e pronto. A terceira coluna do seu gráfico passará a ser medida pelo eixo Y secundário. Após isto, você pode ainda brincar com este gráfico, alterando o “Tipo de gráfico de série” deste eixo para linha.

O Excel 2007 pode não ter os gráficos personalizados como no Excel 2003, mas ele permite muito mais modificações e personalizações nos gráficos padrões, o que é uma grande melhoria.

XP + SATA + Drivers?

A dúvida abaixo veio do Igor:

“Karlão, li seu post sobre os métodos de instalar o XP em HD Sata, mas não tenho cd da placa mãe com os drivers, o que eu faço?”

Igor, sua dúvida é um bom complemento ao meu post sobre o assunto. Os drivers de controladora sata em sua maioria são encontrados no site do fabricante da placa mãe ou no fabricante do chipset da placa mãe. Para descobrir ambas as coisas (modelo de chipset e modelo de placa mãe) utilize o Everest, conforme meu post anterior.

Após descobrir os modelos, leia minha dica sobre como encontrar drivers na internet e em seguida faça o procedimento do F6 na instalação do XP ou a criação do CD de instalação utilizando o nLite.