Arquivo da categoria: Hardware

Pen-drive bootável com Windows 7 ou Vista?

A dúvida abaixo veio do meu amigo César:

“Karlão, meu computador está com problemas no drive de CD/DVD e preciso instalar o Windows, como faço?”

Caro César, existem diversas soluções para este problema, a mais comum e mais prática seria a instalação do Windows através de um dispositivo USB de armazenamento (como um pen drive ou HD externo). O procedimento é bastante simples, porém existem dois detalhes. O primeiro é que o passo a passo que estarei listando abaixo só funciona em (e para) sistemas Windows Vista e Windows 7, justamente por isto o pen drive que iremos criar terá o Windows 7 bootável (para o Vista é o mesmo procedimento).

O segundo detalhe é que de qualquer forma você irá precisar dos arquivos de instalação do Windows (7 ou Vista) que estão no DVD do produto, por isso será necessário fazer o procedimento em um computador que esteja com o drive de CD/DVD funcionando! Vamos lá:

1) Conecte o pen-drive ou hd externo na porta USB (todos os dados serão apagados e será necessário um dispositivo com pelo menos 3 GB’s).

2) No Windows 7 (ou Vista) abra o Prompt de Comando como Administrador (botão direito no ícone e em seguida “Executar como Administrador”).

3) No prompt, execute o comando diskpart. Aguarde o carregamento e em seguida irá aparecer DISKPART>

4) Em seguida digite: list disk. O diskpart irá mostrar uma tabela com os discos atualmente conectados ao seu computador.

5) Identifique o pen-drive ou hd externo pelo número (Disco 0, Disco 1, Disco 2, etc) e pelo tamanho. Caso tenha alguma dúvida você pode rodar o comando novamente sem o pen-drive estar conectado.

6) Em seguida digite: select disk 1. Neste nosso exemplo, o pen-drive (ou hd externo) é o Disco 1. Tenha certeza de estar escolhendo o disco corretamente, ou você corre o risco de apagar todos os dados em uma outra unidade ou partição.

7) Rode os seguintes comandos, pressionando ENTER após cada linha:
clean
create partition primary
select partition 1
active
format fs=NTFS quick
assign
exit

8) Seu dispositivo externo está quase pronto para receber os arquivos de instalação do Windows 7 ou Vista.

9) Verifique no Windows Explorer, qual a letra da unidade de CD/DVD aonde está o disco de instalação do Windows e também confirme a letra que foi definida para seu pen-drive ou hd externo. Neste nosso exemplo, usaremos D:\ e F:\ respectivamente.

10) Na mesma tela do Prompt de Comando, acesse a pasta boot dentro do cd de instalação do Windows digitando: cd d:\boot

11) Para finalizar, iremos criar o setor de boot no pen-drive ou hd externo através do comando: bootsect /nt60 f:\

12) Pronto! Agora basta copiar, todo o conteúdo do DVD de instalação do Windows para o seu pen drive ou hd externo e iniciar seu computador com o dispositivo conectado a porta USB.

Um último detalhe: tenha certeza que a BIOS do seu computador tenha suporte para realizar boot por dispositivos USB (a maioria possui) e confirme que na sequência de boot, a “Unidade de armazenamento USB” esteja acima (prioritária) do disco rígido do seu computador.

Extensões prejudicam ADSL?

A dúvida abaixo veio do meu amigo Daniel:

“Karlão, a quantidade de extensões telefônicas em uma casa diminuem o desempenho do ADSL?”

Daniel, sua dúvida é muito interessante. A resposta é: sim! Na maioria das instalações de internet ADSL em residências, o modem em si, fica conectado diretamente a uma linha telefônica, seja ela uma extensão ou uma única linha direta. Quando o modem é ligado e a operadora telefônica libera o sinal ADSL, passam a trafegar na linha, frequências diferentes que são interpretadas pelos aparelhos telefônicos comuns como ruído.

Por isso as operadoras disponibilizam micro-filtros para serem instalados junto aos aparelhos telefônicos, evitando assim o ruído. O problema deste processo todo é que, mesmo instalado em uma única extensão, o sinal ADSL ecoa em toda a instalação telefônica, o que atenua (prejudica) o sinal e adiciona mais ruído. Em instalações mal feitas e com várias emendas e extensões este problema se agrava ainda mais.

Para isto existem duas soluções. A primeira é instalar um micro-filtro em todas as extensões da instalação telefônica. Porém, isto não vai evitar problemas caso a fiação, emendas e extensões forem mal feitas, antigas ou de má qualidade. A outra solução é ligar o modem ADSL logo na entrada da linha telefônica da residência e separar um outro fio desta linha (com adição do micro-filtro) que vá para todas as extensões. Neste caso o ADSL estará em uma linha “limpa” evitando qualquer problema com fiação, emendas e extensões ruins.

Vários pc’s, mesmo monitor?

A dúvida abaixo veio do Wilson:

“Karlão, existe uma placa que permite um único monitor controlar vários computadores?”

Wilson, este tipo de equipamento é chamado de Switch KVM (a sigla vem justamente do trio Keyboard, Vídeo, Mouse). O Switch KVM centraliza as conexões de mouse, teclado e monitor de vários computadores e direciona tudo isto para um único mouse, teclado e monitor. Através de uma comando (ou uma chave no aparelho) você altera o controle entre os computadores.

Este tipo de equipamento é usado primariamente por empresas que possuem servidores em rack ou máquinas que não precisam ser controladas a todo momento e auxilia enormemente na redução de cabos e limpeza no espaço de um Datacenter, por exemplo. Existem inúmeros modelos de Switch KVM, os mais modernos (e bem mais caros) controlam tudo digitalmente, os mais modestos, possuem uma chave manual para a troca entre servidores.

Sites em widescreen?

A dúvida abaixo veio do Ricardo:

“Karlão, algumas páginas da internet eu não consigo visualizar no formato widescreen, é um problema do meu monitor ou do próprio site?”

Ricardo, neste caso não existe problema nenhum em seu monitor. Tudo depende de como os sites da internet foram construídos pelo desenvolvedor. Alguns desenvolvedores se preocupam em fazer com que o site se “encaixe” em qualquer resolução, seja ela pequena, grande, widescreen ou padrão. Para isto eles utilizam, além de técnicas de programação, recursos visuais que permitem que o site se comporte bem em qualquer monitor.

Um exemplo clássico é este humilde blog do Karlão. Você pode perceber que ele foi estruturado em uma coluna fixa no meio da tela para que, independente da resolução, o site tenha sempre o mesmo tamanho e o mesmo encaixe nos monitores. Alguns desenvolvedores preferem que o site se expanda de acordo com a resolução. Este processo da um pouco mais de trabalho, mas gera resultados bem legais em qualquer tamanho.

Dúvidas rápidas!

As dúvidas abaixo vieram do Mário, da Aline e do Dida respectivamente:

“Karlão, a perda de qualidade de transmissões digitais em 1080 em HDTV Ready é muito grande?”

Mário, a perda é perceptível, pois as TV’s digitais HDTV Ready realizam uma conversão do sinal para conseguir alcançar os 1080 que é o valor padrão das TV’s FULL-HD. Porém deixo claro que não é de forma alguma uma perda que prejudique a visualização de transmissões digitais, mesmo porque, inicialmente no Brasil não temos nenhuma transmissão digital em 1080. Mais informações, verifique meu post anterior sobre o assunto.

“Karlão, quais são as três útlimas versões do software Borland Delphi?”

Aline, a CodeGear (empresa criada pela Borland para cuidar das aplicações de desenvolvimento) costuma lançar uma grande versão do Delphi por ano, portanto a versão atual é a Delphi 2007, sendo a Delphi 2006 e Delphi 2005 as duas anteriores. Sugiro verificar o site do fabricante para mais informações, principalmente sobre as diferenças de funcionalidades entre as versões.

“Karlão, derramei refrigerante no meu teclado e agora algumas teclas estão grudando, o que devo fazer para limpar?”

Dida, que bagunça hein? Se o refrigerante apenas deixou as teclas grudando, então você teve sorte, na maioria dos casos seria necessário trocar o teclado. Você pode limpar usando álcool isopropílico (encontrado em farmácias ou lojas de componentes eletrônicos). Este álcool é ideal para este tipo de limpeza, pois ele contém menos de 1% de água, o que não causa oxidação dos componentes. Se seu teclado permitir (a maioria permite), você pode retirar tecla por tecla para fazer a limpeza.

Celeron por Core 2 Duo?

A dúvida abaixo veio da Adriana:

“Karlão, tenho um Dell Inspiron 1525 com processador Celeron. Consigo trocar o processador por um Core 2 Duo?”

Adriana, a resposta é sim. Tanto os processadores Celeron mais novos, quanto os processadores Core 2 Duo da Intel utilizam como soquete da placa mãe o formato LGA 775 (também chamado de Socket T). Os notebooks Dell Inspiron 1525 possuem uma placa-mãe com este soquete o que permite a troca do processador Celeron para o Core 2 Duo.

Algumas placas-mãe menos robustas, apesar de possuirem o soquete LGA 775, não possuem o suporte ao Core 2 Duo, o que as torna relativamente mais baratas, mas sem a possibilidade de upgrade. Não é este o caso da Dell que fabrica seus notebooks sem com grande poder de expansão.

Trocar o processador do notebook não é uma tarefa muito simples (como trocar de memória ou disco rígido). Sugiro que você entre em contato com o antedimento de vendas da Dell para poder realizar a cotação do novo processador para seu Notebook e do serviço de instalação deste. O número é: 0800-701-1268. Espero ter ajudado!

Porta USB?

A dúvida abaixo veio da Tânia:

“Karlão, o que é porta USB e dispositivo USB, qual a diferença entre os dois?”

Tânia, vamos entender primeiro o que é USB (ou Universal Serial Bus). O USB é uma interface de conexão com o computador que permite a conexão de diversos dispositivos em uma única interface padronizada. A interface USB (ou porta USB) tem suporte a tecnologia plug-n-play, ou seja, basta conectar o dispositivo que o computador reconhece e também tem suporte a tecnologia hot-swap, ou seja, não é necessário desligar o computador para se retirar o dispositivo da interface.

Normalmente, as portas e dispositivos USB existem em 2 versões. A versão 1.1 (mais antiga) que suporta velocidades de até 12Mbits (1,5Mbytes/s) e a versão 2.0 (atual) que suporta velocidades de até 480Mbits (60Mbytes/s). Lembrando que para funcionar em 2.0, tanto o dispositivo USB (pen-drive, máquina fotográfica, mp3 player, etc) quanto a interface USB do seu computador devem possuir suporte a tecnologia 2.0. Computadores e dispositivos novos, já vem todos com esta tecnologia, somente alguns computadores bem mais antigos não possuem suporte.

Bom, então é isto. Interface USB, ou porta USB é a conexão que seu computador possui para que você possa conectar os dispositivos USB, cujo exemplo mais comum destes é o pen-drive.

Sem som na caixa?

Pessoal, tenho recebido muitas dúvidas com relação a problemas de som no computador, uma delas veio da Cássia:

“Minhas caixas de som não estão funcionando e no ícone do som ao lado do relógio do Windows está escrito ‘sem som’, o que devo fazer?”

Cássia, este é um problema muito simples de se resolver. Todas as versões do Windows permitem desabilitar o som temporariamente, ao invés de você ter o trabalho de desligar as caixinhas, ou algo assim. Para que você habilite e desabilite o som, basta clicar duas vezes sobre o ícone da caixinha de som ao lado do relógio, que uma nova tela se abrirá.

Nesta tela, do lado esquerdo, você tem o controle de volume e em baixo uma caixinha para marcar “Sem Áudio”. Se você marcar esta opção, o Windows ficará totalmente sem som, caso ela estiver desmarcada, o som funcionará normalmente. Porém, nem sempre o problema de som é somente isto. Sugiro a todos a leitura do meu post anterior sobre o assunto para identificar outros possíveis problemas de som no Windows.

IAS e ENIAC?

A “dúvida” abaixou veio do Sandro:“Karlão, porque estudar o IAS é fundamental e quais as principais diferenças para o ENIAC?”

Sandro, típica questão de prova de Arquitetura de Computadores né? Espero que seu professor não conheça meu blog. Mas vamos lá. Para quem não sabe, o ENIAC (Electronic Numerical Integrator and Computer) foi o primeiro computador totalmente eletrônico de alta velocidade, que podia ser programável para realizar cálculos complexos. Mas o ENIAC não se parecia nem de longe com o que temos atualmente, veja só as características do monstro:

  • 17.468 válvulas;
  • 500.000 conexões de solda;
  • 30 toneladas de peso;
  • 180 m² de área construída;
  • 5,5 m de altura;
  • 25 m de comprimento.

Como podem ver, o ENIAC era monstruoso, consequentemente de díficil manutenção e operação, além de possuir uma quantidade enorme de defeitos que tinham que ser reparados todos os dias. Devido a esta complexidade, surgiu-se a necessidade de criar algo novo, foi então que o matemático John von Neumann, definiu um modelo arquitetura de computação (utilizada até hoje) que utiliza uma unidade central de processamento e uma área de armazenamento separada que trata tanto dados quanto instruções, por isto esta arquitetura também é chamada de programa-armazenado (stored-program).

Assim surgiu o IAS, nome dado em homenagem ao Instituto de Estudos Avançados que criou o novo computador. O IAS era um computador eletrônico de programa armazenado, com memória, unidade central de processamento, entradas e saídas (como eu disse anteriormente, modelo utilizado até hoje). Por este motivo é tão importante estudar IAS em arquitetura de computadores.

Dois monitores?

A dúvida abaixo veio do Pedro Paulo:

“Karlão, tenho duas placas de vídeo no meu computador, como faço para configurar elas para trabalharem com 2 monitores? É possível?”

Pedro, sua dúvida é interessante, raramente vemos este tipo de funcionamento, a não ser em sistemas de CFTV. Porém, é possível sim fazer este tipo de configuração, observando os seguintes pontos:

1) Ambas as placas não podem ser modelos muito antigos, pois algumas placas de vídeo PCI antigas não possuem suporte para trabalhar com outra ao mesmo tempo (algumas onboard também não possuem o recurso).

2) Neste caso não estamos falando de configuração SLI ou Crossfire, aonde as placas são ligadas entre si e conectadas ao computador, e passam a funcionar como uma única placa, porém com a performance duplicada. Para este tipo de configuração, você precisa de placas de vídeo mais modernas, que tenham este suporte e placas-mãe que permitam esta configuração.

3) O ideal neste caso é configurar todo o computador, utilizando somente uma placa de vídeo, e depois colocar a segunda placa e ainda utilizando a saída de vídeo da primeira, instalar os drivers corretos e mais atuais da segunda placa.

4) Também é possível utilizar dois monitores em uma única placa de vídeo (modo mais comum), desde que a mesma possua duas saídas. A maioria dos modelos mais modernos possuem tanto saída RGB quanto saída DVI, neste caso você pode ligar dois monitores normalmente.

Com isto entendido, e com os dois monitores ligados, basta ir nas propriedades de vídeo (Painel de controle – Vídeo) e na aba de Área de trabalho você já verá o desenho dos dois monitores. O Windows permite que você alterne a imagem entre os monitores, mas grande parte dos softwares que acompanham os drivers das placas de vídeo, permitem que você divida a tela, duplique a tela ou alterne a tela.

Restaurar HD?

A dúvida abaixou veio do Igor:

“Karlão, como faço para restaurar os dados de um HD formatado?”

Igor, recuperar dados de discos formatados ou corrompidos é um processo que exige um excelente software, paciência e sorte. Os dados são gravados no disco rígido de forma organizada a princípio, isto é, seguindo uma lógica pré-estabelecida. Para ilustrar isto, vamos supor que os dados são gravados na parte interna do disco rígido, em sequência e ordenados até a borda do disco, quando os dados chegam a borda, o disco esta cheio.

Claro que isto não acontece na prática, pois a todo momento, não só o usuário, mas também o próprio sistema operacional e as aplicações estão criando, lendo, escrevendo e apagando arquivos diversos no disco. Com isto os dados começam a ficar dispostos de forma desorganizada (cada pedaço em um canto dos discos de gravação dentro do seu HD). Algumas pessoas utilizam a desfragmentação para re-organizar os dados em uma sequência lógica, porém, mesmo desfragmentado, os dados podem se apresentar bem espalhados.

Com isto entendido, vamos analisar o processo de formatação. Existe um pequeno setor do seu HD que armazena as informações de particionamento, chamado de MBR (Master Boot Record). Quando um disco é formatado no processo rápido, somente esta tabela de particionamento é zerada, ou seja, os novos arquivos, ou o novo sistema operacional, reconhece que o disco está vazio e começa a escrever dados nele. Porém, os dados antigos, ainda permanecem alocados (apesar de “camuflados”) e o novo sistema operacional irá começar a escrever por cima deles.

Como estes novos dados vão ser escritos de uma forma ordenada, diferente do que estava anteriormente, possívelmente algumas áreas do disco (apesar de reconhecidas como vazias) vão conter resquísios dos arquivos antigos. O que muitos softwares de recuperação de dados fazem, é usar desta questão técnica para recuperar os dados antigos camuflados.

Porém, ao contrário da formatação rápida (mais comum), existe a formatação completa, neste caso, além de zerar a MBR, o aplicativo de formatação, zera bit a bit todos os setores do disco, limpando qualquer resquísio de dados antigos. O mais incrível é que mesmo neste modo de formatação, softwares de recuperação de dados ainda conseguem achar pedaços de arquivos antigos e muitas vezes até recuperar alguns, porém, neste caso, é bem mais complicado de você ter sucesso.

Então, quando eu digo sorte, é justamente com relação ao novo arquivo, não ser gravado no mesmo local que estava um arquivo antigo que você queria recuperar. Como a disposição de dados e gravação em disco não é algo muito simples de explicar e entender (principalmente com o grande volume dos HD’s atuais), então você precisa sim, de sorte.

Se quiser tentar a sorte, existe um software muito bom de recuperação de dados da empresa Ontrack, chamado EasyRecovery Professional. Em muitos casos este aplicativo me salvou de enrascadas com arquivos e HD’s perdidos, você pode usar a versão Trial para testar se o mesmo vai encontrar os arquivos que você perdeu com a formatação. Lembre-se, o processo é sempre muito demorado, principalmente se o disco for grande, então, tenha paciência.

Excel x Argox?

A dúvida abaixo veio da Cristiane:

“Karlão, preciso exportar um arquivo Excel para uma impressora Argox que imprime códigos de barra, como faço?”

Cristiane, conheço pouco sobre impressoras Argox, mas talvez podemos tratar seu problema de uma forma padronizada. Todo arquivo de tabelas do excel, pode ser exportado em um formato chamado CSV (Comma-Separated Values), ou seja, valores separados por vírgula. O formato CSV é um formato padronizado de exportação e importação de dados entre aplicativos. Possivelmente as ferramentas da impressora Argox possuem uma forma de importar arquivos em CSV.

Para salvar em CSV no Excel, abra seu arquivo e vá em “Salvar Como”. Em seguida selecione o formato CSV e pronto. O Excel irá apresentar algumas mensagens informativas, visto que o CSV é um formato muito mais limitado que o formato XLS do Excel. Você pode utilizar também um software chamado Argobar Lite que é próprio para impressoras Argox e que permite manipular etiquetas de diversas formas, inclusive através dados variáveis.

Wireless via pc-card?

A dúvida abaixo veio do Edson:

“Karlão, meu amigo tem um notebook antigo sem wireless e com problemas na conexão USB. Posso usar aqueles cartões (pc-card) para conectar a internet sem fio?”

Edson a resposta é sim. Os PC-Card’s (antigamente conhecidos como cartões PCMCIA e hoje substituidos pelos Express Card’s) foram acessórios muito utilizados em notebooks ao redor do mundo. Estes “módulos” adicionais tinham diversas funções, como modem, placa de rede, memória adicional, placa sem fio, disco externo, dentre outras.

Em uma época aonde os notebooks não eram tão completos e os acessórios não eram tão integrados, os pc-cards faziam a festa. Inclusive a maioria dos notebooks hoje, continuam saindo de fábrica com 1 ou 2 slots para conexão de Express Card’s. Existem no mercado diversos fabricantes de equipamentos wireless que disponibilizam uma versão em formato Express Card para a conexão.

Os PC-Cards são equipamentos plug and play, fáceis de instalar e utilizar, funcionam praticamente como uma conexão USB. Dois exemplos são o D-Link WNA-1330 e o Linksys WPC54G. Ambos os modelos são razoavelmente tranquilos de encontrar em lojas on-line.

Melhor VoIP?

A dúvida abaixo veio do amigo Roberval:

“Karlão, qual o melhor serviço de VoIP (telefonia IP) na internet?”

Roberval, existem inúmeros provedores de serviços VoIP na internet e o mais legal desta tecnologia é que você pode assinar (ou comprar créditos) de um provedor em qualquer lugar do mundo. Basta uma busca no Google para você ver o número infinitos de opções.

Recentemente me surpreendi com um novo serviço chamado Azzu. O Azzu possui, além dos serviços de VoIP padrão dos outros provedores, através de um softphone (software tipo Skype), a opção de se utilizar um ATA (Adaptador de Telefone Analógico), que nada mais é que um equipamento que você adquire para utilizar VoIP no próprio telefone de casa, sem a necessidade de um computador.

Além desta opção muito interessante, o Azzu também permite que você compre números telefônicos de várias cidades brasileiras e possui também serviços de siga-me, secretária eletrônica, tele-reunião, dentre outros, tudo isso em um portal muito prático e fácil de utilizar. Os preços do minuto das ligações estão muito competitivos e para quem fala muito interurbano, o Azzu pode ajudar a economizar até 80% do valor da conta. Vale a pena conferir.

Som na Easyshare C763?

A dúvida abaixo veio da Léa:

“Karlão, quando vejo os vídeos na minha câmera Kodak Easyshare C763 não está saindo som, quando transfiro e vejo no computador o som sai normal, o que pode ser?”

Léa, possivelmente o som da câmera está desligado ou muito baixo. Para resolver este problema pressione o botão “Menu” da sua câmera e vá até a última opção que deve ser “Setup Menu” (ou “Menu de Configurações”).

Em seguida vá até a opção “Sound Volume” (ou “Volume do Som”) e ajuste da forma que preferir. Se estiver em Off (ou “Desligado”), basta alterar para qualquer outro que seu problema será resolvido. Lembrando que o padrão da câmera é “Low” (ou “Baixo”).