Arquivo da categoria: Redes

Wireless via pc-card?

A dúvida abaixo veio do Edson:

“Karlão, meu amigo tem um notebook antigo sem wireless e com problemas na conexão USB. Posso usar aqueles cartões (pc-card) para conectar a internet sem fio?”

Edson a resposta é sim. Os PC-Card’s (antigamente conhecidos como cartões PCMCIA e hoje substituidos pelos Express Card’s) foram acessórios muito utilizados em notebooks ao redor do mundo. Estes “módulos” adicionais tinham diversas funções, como modem, placa de rede, memória adicional, placa sem fio, disco externo, dentre outras.

Em uma época aonde os notebooks não eram tão completos e os acessórios não eram tão integrados, os pc-cards faziam a festa. Inclusive a maioria dos notebooks hoje, continuam saindo de fábrica com 1 ou 2 slots para conexão de Express Card’s. Existem no mercado diversos fabricantes de equipamentos wireless que disponibilizam uma versão em formato Express Card para a conexão.

Os PC-Cards são equipamentos plug and play, fáceis de instalar e utilizar, funcionam praticamente como uma conexão USB. Dois exemplos são o D-Link WNA-1330 e o Linksys WPC54G. Ambos os modelos são razoavelmente tranquilos de encontrar em lojas on-line.

Falha na navegação?

A dúvida abaixo veio da Ana:

“Karlão, depois que foi feito rede aqui em casa a navegação ficou horrível, toda hora as páginas falham para abrir e mesmo sem o roteador, o problema persiste. O que faço?”

Ana, é bem complicado descobrir um problema assim sem uma análise mais profunda da sua rede. Porém podemos ter uma idéia da causa raiz. Vou partir do princípio que os testes de navegação foram feitos com e sem roteador, em um mesmo computador e no mesmo navegador (Internet Explorer ou Firefox por exemplo). Isto facilita, pois eliminamos uma série de variáveis.

Também vou partir do princípio que as falhas estão intermitentes, ou seja, hora funciona, hora não funciona, alguns sites abrem, outros não abrem. Digo isto, pois se a falha for geral (não funciona nada) então o problema é bem diferente, neste caso estamos falando de um problema mais simples de resolver, o que não é o caso desta dúvida.

Voltando ao seu problema, acredito que é bastante difícil o roteador estar com problema. Estes equipamentos raramente vem com algum defeito de fábrica, mas neste caso, podemos ter um problema de configuração. O ideal é acionar um técnico para verificar a configuração do equipamento. É interessante também verificar o cabeamento, tanto do roteador, quanto do computador, procurando algum cabo com mal contato ou falha de conexão.

Novos testes podem ser feitos, também de outro computador, para ver se o problema persiste. Problemas deste tipo, podem acontecer em somente um computador da rede, o que pode indicar problemas de configuração, hardware e também vírus. Aproveitando que mencionei este último item, alguns tipos de vírus costumam interferir na navegação. Eles criam mapeamentos falsos de rede dentro do computador e tentam direcionar todo o tráfego internet para (por exemplo) um site falso, com o intuiuto de roubar informações.

Por isto, minha recomendação, antes de mais nada é passar uma varredura completa de anti-vírus nos computadores da sua rede doméstica, se isto não resolver, entre em contato com um técnico para verificar novamente as configurações do roteador e também dos computadores.

Rede com Bluetooth?

A dúvida abaixo veio do Alden:

“Karlão, como devo proceder para criar uma rede Bluetooth entre meu computador e meu notebook e como compartilhar a internet nesta rede?”

Alden, infelizmente a conexão Bluetooth, apesar de permitir troca de arquivos, não tem suporte ao protocolo TCP/IP (o padrão da internet), por isto não é possível compartilhar a internet em uma rede Bluetooth doméstica.

Para não ser repetitivo, vou te passar um link do site da Info que mostra um passo a passo para a criação de uma rede sem fio utilizando tecnologia Bluetooth para troca de arquivos entre o computador e o notebook. Lembro também que a taxa de transferência padrão do Bluetooth é de 1Mbps, este valor é 100x menor que a velocidade de uma rede comum, e 50x menor que uma rede sem fio por Wi-Fi, portanto talvez não seja a solução ideal para interligar um notebook a um computador, mesmo que seja só para transferência de arquivos

Notebook e modem interno?

A dúvida abaixo veio da Inês:

“Karlão, comprei um notebook que não possui modem interno. Aqui no prédio tenho conexão adsl compartilhada, como faço para utilizá-la se não tenho modem no notebook? Também, quando tento acessar uma rede sem fio ela pede senha, o que faço?”

Inês, antes de responder sua dúvida vou passar alguns conceitos para você entender melhor. Quando falamos a palavra modem, estamos falando de um equipamento que converte um sinal analógico (vindo da linha telefônica) em informações digitais (interpretadas pelo computador) e vice versa. O nome “modem” é um apelido para a palavra “modulator-demodulator”.

Antigamente, utilizava-se bastante o tal modem para conectar a internet através de uma linha telefônica. Estes aparelhos, podiam ser externos ou placas internas no computador. Com a chegada da internet rápida, a palavra modem passou a ser usada também para designar os aparelhos que fazem a conexão ADSL, pois eles nada mais são do que um modem também.

Geralmente um modem ADSL possui uma conexão a linha telefônica e uma conexão de rede para que o computador possa navegar (através de um cabo de rede). Todo notebook sai de fábrica com uma placa de rede interna que aceita o cabo de rede vindo do modem ADSL ou de uma rede doméstica. As vezes os notebooks também possuem modem interno (utilizados em conexões a linha discada), mas estes não tem nada a ver, nem interferem no modem ADSL que você já possui na sua casa ou no seu prédio.

Se no seu prédio você possui conexão ADSL compartilhada, você deve utilizar um cabo de rede para realizar a conexão no seu computador. Sem conhecer como está montada sua rede doméstica, não consigo te ajudar no restante das configurações que talvez precise ser feita. Já no caso da rede sem fio, está sendo solicitado senha, justamente porque esta rede está protegida de acesso não autorizado, possívelmente você está tentando acessar uma rede sem fio de um vizinho ou de um local próximo. Caso seu prédio disponibilize o acesso a rede sem fio, é necessário verificar com os responsáveis a senha de acesso e também a forma de configuração.

Positivo V146 ?

A dúvida abaixo veio do Bruno:

“Karlão, comprei um Notebook Positivo V146 que veio com Windows Vista. Formatei e coloquei o XP, porém não consigo instalar o driver wireless, o que eu faço?”

Bruno, acredito que conseguimos responder esta sua dúvida com alguns posts anteriores aqui do blog. Primeiramente é importante falarmos que a Positivo não distribui oficialmente os drivers do Windows XP para este notebook, mas isto não quer dizer que eles não existam. Para descobrir o modelo correto da sua placa wireless, siga o procedimento do meu post sobre o Everest.

Após isto, veja minha dica sobre encontrar drivers quaisquer na internet e faça o download do driver correto para seu wireless em Windows XP. Para finalizar, verifique meu outro post sobre o passo a passo para solução de problemas em rede wireless no Windows. Acredito que com isto você irá conseguir resolver seu problema.

Wireless ainda não funciona?

A dúvida abaixo veio do amigo Aloysio, aproveito e peço inúmeras desculpas pela demora na resposta:

“Karlão, minha rede sem fio no notebook funcionava normalmente, deixei um tempo desabilitada e agora que tentei ligá-la novamente, não quer funcionar mais, será algum defeito de hardware?”

Amigo, como você me disse no e-mail, os principais passos de checagem da rede wireless já foram efetuados, conforme meu post anterior sobre o assunto. Porém reforço a importância de checar as configurações e redes disponíveis, tanto no software da Intel (PROSet/Wireless) quanto na própria ferramenta do Windows. Lembro que somente um dos softwares consegue gerenciar a rede sem fio e não os dois ao mesmo tempo. Caso não tenha o software da Intel no notebook, tente instalá-lo e fazer os testes por ele. Caso já esteja fazendo os testes por ele, tente desabilitá-lo e fazer os testes pela ferramenta do próprio Windows.

A sua idéia de criar uma máquina virtual Windows XP dentro do seu notebook e testar a rede wireless por ela é bem válido. Porém, lembre-se de depois de instalar a máquina virtual, configurar corretamente o Vmware para que ele disponibilize uma conexão virtual wireless em cima da sua rede wireless física na máquina virtual. Caso nada disto resolva, podemos sim estar enfrentando um problema de hardware.

Aumentar sinal wireless?

A pergunta abaixo veio dos colegas do “The Sisfornaus”:

“Karlão, como posso aumentar o sinal de recepção do wireless no meu notebook?”

Pessoal, não existe uma fórmula milagrosa de aumentar a recepção, nem a emissão do sinal wireless em redes sem-fio. Desconfie de softwares que prometam qualquer coisa deste tipo. O que precisa ser entendido neste caso é como o sinal pode ser prejudicado e como aplicar algumas soluções simples para melhorá-lo, consequentemente ajudando na recepção e qualidade do mesmo.

Em redes sem-fio residenciais e comerciais, quem faz a emissão do sinal e centralização do mesmo é um equipamento chamado Roteador Wireless (existem também os Access Point Wireless). Estes equipamentos possuem diversas características técnicas que podem influenciar na melhoria ou perda de sinal. Alguns destes possuem tecnologia MIMO (Multiple In, Multiple Out), que utiliza várias antenas, aumentando a distância da emissão do sinal e também conseguindo “driblar” alguns obstáculos mais facilmente. Podemos citar o roteador D-Link DI-634M e o Linksys WRT54GX que possuem esta tecnologia.

Os modelos mais modernos (e mais caros) de equipamentos wireless chamados de pré-n (uma referência ao novo formato 802.11n) já possuem esta tecnologia embutida. Muitos fabricantes também prometem uma série de “novas tecnologias” em seus roteadores que melhoram o alcance do sinal.

Independente da tecnologia, todos os roteadores wireless (assim como qualquer aparelho que trabalhe com ondas eletromagnéticas) podem sofrer interferências. Por trabalhar na frequência de 2,4Ghz, equipamentos como microondas e telefone sem fio, que utilizam a mesma frequência, podem gerar interferência e quedas no sinal wireless. Outro grande vilão são as paredes de alvenaria, madeira e água (como aquários). Estes objetos atrapalham consideravelmente o sinal wireless.

Na maioria dos casos, não existe uma forma milagrosa de resolver o problema. É o caso de um Hotel que quer atender todos os 5 andares de quartos utilizando apenas um roteador wireless no Térreo. Isto realmente é inviável. A solução aqui seria colocar um roteador wireless por andar e realizar a integração de todos eles em uma única rede.

A única dica válida é com relação a posição do aparelho. Para melhor desempenho do sinal, coloque o roteador em um local alto e central da sua casa/escritório e evite colocar equipamentos ou objetos próximos a ele que possam interferir na qualidade do sinal.

Modem ADSL + Hub ?

A dúvida abaixo veio do Emerson:

“Existe o equipamento da D-Link ou outra marca que tenha as funções modem adsl, roteador e hub todos juntos?”

Todo mundo sabe que os modems adsl geralmente só tem uma porta Ethernet e permitem ligar somente um computador. È fato também que a maioria desses modems tem suporte a configuração em router ou bridge (vide meu post sobre o assunto). O que muita gente faz é ligar um hub nesta porta única e assim torna-se possível dividir a conexão entre mais computadores.

O que pouca gente sabe é que existem equipamentos (da D-Link inclusive) que fazem a função de modem adsl e hub ao mesmo tempo. Eles nada mais são que modems com portas ethernet adicionais (geralmente 4 portas). Existem ainda outros modelos que além das funções de modem adsl e hub, também fazem a função de roteador wireless, facilitando ainda mais.

Respondendo a sua pergunta, listo abaixo dois modelos de equipamentos D-Link que fazem estas funções todas juntas e sem maiores problemas:

D-Link DSL-G604T (Modem ADSL + Hub + Wireless)
D-Link DSL-504T (Modem ADSL + Hub)

P.s.: Antes de realizar a compra é importante verificar junto a provedora do adsl sobre a compatibilidade destes aparelhos com serviço de internet banda larga.

MTU na conexão sem fio?

A dúvida veio do Fabrício:

“Tenho um modem adsl ligado a um roteador wireless, e meu notebook acessa esta rede sem fio. Alguns sites estão funcionando normalmente, outros (como o hotmail e msn) estão apresentando problemas, o que posso fazer?”

Fabrício, esse é um problema de inúmeras soluções, pois podem existir diversos elementos causadores. O primeiro passo é verificar se não existe nenhuma regra de firewall ou filtro de conteúdo configurado no modem adsl ou no roteador wireless. Estes fatores sao responsáveis por grande parte destes tipo de erros.

Um outro ponto a se verificar é o próprio firewall do Windows ou um outro tipo de software de proteção da internet que estiver instalado. Verifique se o mesmo não está fazendo nenhum tipo de bloqueio ou filtro. Uma dica interessante é antes de mais nada, desabilitar completamente estes softwares para ver se o problema persiste.

Se nenhuma destas soluções adiantar, você pode tentar algo mais drástico. Quando se liga equipamentos diversos em rede (modem adsl, roteador wireless, computador, etc) o pacote de dados passa por diversos caminhos até chegar ao destino. Quanto mais equipamentos entre o seu computador e o destino, mais “hops” (saltos) o pacote vai sofrer.

Em cada um desses saltos, existe um tipo de configuração de rede diferenciada. Uma destas configurações (existente na sua placa de rede, no roteador, no modem, etc) é o MTU (Maximum Transmission Unit). O MTU nada mais é que um número em bytes que indica o tamanho máximo do pacote que pode passar por aquele caminho. Por padrão, a maioria dos dispositivos de rede são configurados com um MTU máximo, de 1500 bytes.

Se durante o caminho do pacote, existir uma configuração de MTU diferenciada (ou mesmo um erro de configuração) o pacote vai assumir sempre o menor MTU existente. O protocolo PPPoE (usado nas conexões adsl) tem por característica, diminuir o valor do MTU padrão. Esta divergência de MTUs nos caminhos da rede, podem gerar certas inconsistências na comunicação e como no caso da pergunta, erros ao entrar em sites.

Uma possível solução deste problema é reduzir o MTU do seu roteador wireless (o primeiro equipamento de rede após seu computador). Para isso, acesse a configuração do seu roteador e na seção de WAN, reduza o MTU de 1500 para 1400. Reinicie o roteador e veja se o problema foi resolvido. Não existe perda de performance perceptível ou problemas mais sérios com essa redução, mas este tipo de solução deve ser utilizada somente como última alternativa para resolver o problema.

E DNS reverso?

Esta dúvida veio do grande Roque:

“O que é um DNS Reverso e qual sua utilidade em um servidor de e-mail?”

Bom, antes de mais nada precisamos explicar o que é DNS. Também chamado de Domain Name System, o DNS, de modo simples, nada mais é que a agenda telefônica da internet. Sua função é referenciar números (endereços de IP) e nomes. Por exemplo:

http://www.uol.com.br/ = 200.221.2.45

Qual o intuiuto disso? Facilitar. Imagina se para todo site que você fosse entrar, você tivesse que saber o endereço IP? Bem complicado né? O DNS é aplicado na internet através dos servidores de DNS (DNS Servers). Dentro de um servidor DNS temos dois tipos de entradas: a entrada direta e a entrada reversa.

A entrada direta nada mais é que um nome sendo traduzido para um endereço IP. Ou seja, quando você “pergunta” a um servidor DNS qual é o IP de http://www.uol.com.br/ ele vai responder 200.221.2.45. A segunda entrada é a reversa, como o próprio nome já fala, ela realiza a operação contrária. Quando você pergunta o que é o IP 200.221.2.45, o servidor DNS vai responder que é o nome http://www.uol.com.br/. Não vamos entrar em detalhes mais complexos sobre DNS aqui.

Com esses conceitos em mente, vamos a segunda parte da pergunta. Quando você manda um e-mail, através de qualquer serviço, esta sua mensagem sai com um remetente e um destinatário. No remetente temos seu nome de usuário + uma arroba (@) + um nome de dominio qualquer (ex: ajuda@karlaomeajuda.com.br). O destinatário tem o mesmo formato.

Quando este e-mail chega no servidor do seu destinatário, este executa uma série de operações para detectar se seu e-mail tem conteúdo proibido, ou pode é um spam, se possui vírus, etc. Dentro dos testes de spam, temos um chamado “Teste de DNS Reverso”. Neste caso, o que o servidor faz é muito simples. Utilizando um servidor DNS, ele verifica qual é o IP do seu nome de domínio (Ex: karlaomeajuda.com.br). Após isto ele faz a pesquisa reversa, verificando no mesmo serivdor DNS se o IP encontrado corresponde realmente ao karlaomeajuda.com.br.

Caso o servidor de e-mail encontrar discrepância nas informações, ele pode rejeitar o seu e-mail com a justificativa de que este pode ser um endereço de e-mail mascarado. Por isto, quando se cria um servidor de e-mail, é muito importante configurar o DNS Reverso do IP do servidor corretamente, do contrário os e-mails que saem deste servidor podem ser recusados no destinatário.

Modem ADSL + Roteador Wireless ?

Esta dúvida veio do meu amigo Tikim:

“Como faço para configurar um roteador wireless junto com um modem adsl para que quem estiver usando conexão sem fio possa navegar na internet?”

Para esta dúvida, não vou explicar o passo a passo de configuração dos equipamentos, porque existem inúmeros modelos no mercado, mas garanto que grande parte do que vou explicar serve para qualquer modem adsl e roteador wireless.

Primeiramente é importante conhecermos os aparelhos. Para um usuário doméstico, um modem adsl nada mais é que um equipamento que faz a ponte entre seu computador e a internet. Esta “ponte” pode funcionar de duas formas:

1) O modem faz todo o trabalho de conexão e autenticação (usuário e senha) para você e após configurado, basta você ligar seu computador que ele já esta navegando na internet. Neste caso a configuração é chamada de Router (roteada).

2) O modem funciona simplesmente para deixar a conexão passar de forma adequada (conforme regras das conexões de adsl). O seu computador neste caso é quem faz a conexão (você entra com usuário e senha e manda conectar). Aqui temos uma configuração em Bridge (ponte).

Já um roteador wireless, como o próprio nome já fala, é um equipamento que faz o roteamento da conexão sem fio, ou seja, ele indica para um computador (conectado via wireless) que caminho ele deve seguir até determinada rede (neste caso, a internet).

Tendo em mente estes conceitos básicos, vamos a resposta da pergunta. Todo roteador wireless possui 3 tipos de saída de rede.

As portas LAN servem para conectar qualquer dispositivo através de interface de rede normal (cabeada). A porta WAN (geralmente somente uma) serve para a saída para a rede externa (neste caso a internet). E as “portas” wireless são responsáveis pelas conexões de todos os equipamentos sem fio do ambiente.

A maioria dos modems adsl possuem somente 2 saídas. Uma saída LAN (rede cabeada) e uma saída de telefonia (para a conexão adsl da sua operadora). Com isto fica bem fácil descobrirmos como devemos conectar os equipamentos. Como o modem adsl (independente do tipo de configuração) vai ser o elemento que fornece a saida para a internet, este deve ser conectado na linha telefônica (obviamente) e sua porta LAN deve ser conectada na porta WAN do roteador wireless.

O restante do processo agora é configuração dos equipamentos, o ideal pode ser da seguinte forma:

1) Configure o modem adsl no modo de roteamento (geralmente esta é a configuração de “fábrica). Neste caso basta você configurar o usuário e senha do seu provedor e pronto. O modem estará distribuindo endereçamentos e liberando a internet para todos os computadores conectados a ele (através de um Hub ou Switch por exemplo).

2) A única configuração a ser feita no roteador wireless é na WAN. Lá você vai indicar que a sua saída para a internet é o endereço IP da porta LAN do seu modem ADSL (geralmente o padrão é 10.1.1.1 ou 192.168.0.1). Feito isso, o roteador wireless também estará distribuindo endereçamentos e liberando a internet para as conexões wireless (e via portas LAN).

Existem uma série de outras possíveis configurações e uma série de configurações de segurança para a rede sem fio (importantes) que mencionarei em um próximo post.

Ficou confuso? Eu gosto sempre de dizer que só aprendemos as coisas na prática.

Então mãos a obra!